BLOG

eletro@thiago

Como dimensionar o disjuntor geral?

Como dimensionar o disjuntor geral?

Na hora de realizar um projeto elétrico predial, um dos pontos cruciais é o dimensionamento do disjuntor geral. Item de extrema importância, o disjuntor geral é responsável pela segurança de toda a instalação, garantindo o funcionamento dos os equipamentos e a tranquilidade das pessoas.

É muito comum que dúvidas apareçam e até atrapalhem o andamento do trabalho, mas é possível seguir alguns passos simples, usando seus conhecimentos teóricos e práticos como base para não ter nenhum problema.

E então, quer saber como dimensionar o disjuntor geral de sua instalação predial? Então continue a leitura deste post!

Entenda o disjuntor geral

Você já deve conhecer a função do disjuntor, que é um dispositivo eletromecânico de proteção de instalações elétricas. Ele atua em caso de curtos-circuitos ou sobrecargas, desarmando e abrindo os circuitos.

O disjuntor geral de uma instalação é o principal de uma instalação predial, servindo para proteger todos os outros, responsáveis cada um por um circuito. Ele jamais deve ser instalado sozinho, agregando todos os circuitos da instalação sem o uso dos parciais, que também são de muita importância!

Separe a instalação completa em circuitos

Para chegar no dimensionamento do disjuntor geral, é preciso que a instalação já tenha sido devidamente dividida em circuitos de utilização.

Dividir os circuitos das instalações é um passo fundamental, mas muitas vezes ignorado. Não é nada raro encontrar todo tipo de instalações em que um só disjuntor tem sua função de proteção para circuitos de chuveiros e iluminação, por exemplo.

Tomadas de uso geral (TUGs), tomadas de uso especial — equipamentos com potência mais alta — (TUEs), iluminação, um chuveiro separado de outro (e quantos mais houver na instalação): cada grupo deve ter a potência de uso calculada, somando as potências individuais dos equipamentos previstos para serem utilizados.

Encontre as potências dos circuitos

Cada circuito deve ter a potência de uso calculada, somando as potências individuais dos equipamentos previstos para serem utilizados. Caso você não tenha acesso a esse cálculo, é possível utilizar a corrente calculada para os circuitos (e para seus disjuntores) para chegar aos valores das potências.

Para calcular as potências dos circuitos, basta simplesmente utilizar a fórmula do cálculo da potência de um circuito simples:

P (potência) = V (tensão) x I (intensidade de corrente)

Sendo assim, você deve considerar a potência de uso que calculou por meio da soma das potências dos equipamentos e dividir pela tensão. Fique atento à instalação para utilizar o valor correto de tensão, que poderá ser 127V ou 220V.

Guarde o valor encontrado para cada circuito e identifique o tipo de cada um — no próximo passo isso será fundamental.

Aplique os fatores de demanda dos circuitos

Os fatores de demanda são valores aplicados aos circuitos de acordo com a frequência de uso dos equipamentos que se encontram em cada um. Eles servem para ponderar a soma das potências dos aparelhos que podem se conectar.

Isso significa que a possibilidade de uso simultâneo de vários equipamentos é levada em consideração. Quanto mais tomadas de uso geral, por exemplo, menores são as chances de todas estarem em uso ao mesmo tempo.

Dessa maneira, é possível chegar a um valor mais razoável de potência a ser consumida em toda a instalação, encontrando o disjuntor mais adequado sem riscos de superdimensionamento.

Os fatores de demanda são disponibilizados pelas concessionárias de energia, e podem ser encontrados facilmente em suas páginas na internet. Com eles em mãos, basta multiplicá-los pelos valores das potências de cada circuito, conforme o tipo.

Some as potências e encontre a corrente geral

Agora que você tem as potências de cada circuito, considerando sua utilização, some todas elas! Na sequência, basta inverter os termos da fórmula do cálculo de potência e encontrar a corrente geral: I = P/V.

Com esse valor de corrente você tem o valor mínimo de corrente que define o seu disjuntor. Consulte a tabela do fabricante que você escolher e encontre o disjuntor geral da sua instalação!

Gostou de saber como se dimensiona o disjuntor geral? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros conteúdos como este!

Posts recentes

Áreas de Atuação

IMAGEM DE PROPAGANDA