BLOG

eletro@thiago

Corrente contínua e alternada: entenda as diferenças

Corrente contínua e alternada: entenda as diferenças

Se você está lendo este post, está fazendo uso da eletricidade para isso. A eletricidade que usamos em nossas casas e aparelhos vêm das usinas em forma de uma corrente elétrica.

Corrente elétrica em um fio, é o fluxo ordenado de elétrons em um determinado sentido, provocado por uma voltagem (clique aqui para acessar nosso glossário de eletricidade). Esses elétrons livres são chamados de elétrons de condução. Podemos associar a corrente elétrica com o fluxo de água numa mangueira cheia, com a torneira sendo a tomada e a ponta sendo a lâmpada. Assim que abrimos a torneira (ligamos a tomada), a água sai do outro lado (a luz acende). A corrente elétrica existe em duas formas: a corrente contínua e alternada.

Corrente contínua

A corrente contínua (CC, ou em inglês DC – direct current), é o fluxo de elétrons em um único sentido. Uma pilha, por exemplo, cada ponta possui sempre o mesmo sinal. Uma ponta é polo positivo e a outra ponta o polo negativo. Os elétrons se movem do polo negativo, que os repele, para o polo positivo, que os atrai. É usada principalmente em circuitos que usam baixa tensão, como aparelhos eletrônicos. Por isso pilhas e baterias comuns usam de 1,5 a 9 volts.

A corrente contínua flui somente se o circuito estiver fechado, interrompendo o fluxo se o circuito for aberto.

Corrente alternada

A corrente alternada (CA, ou em inglês AC – alternate current), é o fluxo de elétrons que alternam o sentido. Isso se dá pela alternância da polaridade do gerador da corrente. Esse tipo de corrente é gerada através do movimento relativo entre um ímã e uma bobina (fio enrolado como se fosse uma mola comprimida, com todas as voltas se tocando). Como o ímã possui dois polos, o positivo e o negativo, o polo positivo “puxa” os elétrons enquanto que o negativo “empurra”, alternando o sentido do movimento. No Brasil, essa oscilação de polaridade se dá a 60 Hertz (60 vezes por segundo) e a uma tensão de 110 volts.

Reza a lenda que esse padrão começou nos Estados Unidos. 110 V foi adotado como o primeiro padrão para lâmpadas incandescentes porque com esta tensão, as lâmpadas brilhavam de dia com a mesma intensidade de uma lâmpada a gás. A frequência de 60 Hz é uma frequência confortável em que o olho humano não distingue as oscilações.

Por que dois tipos de corrente?

A corrente contínua é gerada principalmente por elementos químicos, que quando colocados em contato, transformam energia química em energia elétrica. A pilha comum, por exemplo, é formada de zinco (polo negativo) e carbono (polo positivo). Quando seus polos são ligados, ocorre uma reação química em que o zinco libera elétrons, gerando uma diferença de potencial e consequentemente uma corrente elétrica. Essa tensão é baixa, por isso carrinhos de controle remoto utilizam várias pilhas para funcionar. Circuitos eletrônicos também usam baixa tensão. Computadores utilizam aproximadamente 5 V em suas placas.

A corrente alternada diz-se ser a corrente da natureza, pois é gerada a partir de elementos naturais como quedas d’água, vento, que fazem girar um ímã ou uma bobina para gerar a corrente, como dito acima. Essa é a corrente que chega até as tomadas das nossas casas. Ela é utilizada nas linhas de transmissão, pois com ela as perdas de energia são menores.

Quanto maior a corrente, maior a perda de energia pelo aquecimento do fio (efeito Joule). Por exemplo, se quisermos transmitir 220 V a uma distância de 10 km de uma usina que produzisse 500 kW, a corrente elétrica teria o valor de 2.300 A e com isso uma perda de cerca de 200 kW, que não é algo muito interessante. Se não quisermos perder essa quantidade de energia nessas mesmas condições, os fios de transmissão teriam que ter um diâmetro de 15 cm! Agora, se aumentarmos a tensão para 20.000 V, a corrente diminui para somente 25 A, que um fio de 3 mm consegue transmitir muito bem.

Com a corrente alternada é muito mais fácil você aumentar e diminuir a voltagem usando transformadores, sendo assim possível levar energia a lugares distantes pelas linhas de transmissão sem a necessidade de estações elétricas no caminho para amplificá-la. Isso é inviável usando corrente contínua. A facilidade com a qual as voltagens podem ser elevadas ou diminuídas com o transformador é a principal razão para a distribuição de energia elétrica seja de corrente alternada.

Ambas correntes possuem suas utilidades. Ao comprar um aparelho eletroeletrônico, verifique se sua voltagem é a correta para a sua cidade. Se for construir uma casa ou fazer uma obra que mexa na estrutura elétrica, é necessário que seja feito um projeto elétrico para que não haja riscos de incêndios nem perdas financeiras. Você pode chegar a perder o valor de um carro popular por mês se a eficiência do seu sistema elétrico não estiver bem ajustada.

Conseguiu entender as diferenças entre corrente contínua e alternada? Já teve algum problema por não saber qual tipo de corrente seu aparelho elétrico usava? Conte para nós!

Posts recentes

Áreas de Atuação

IMAGEM DE PROPAGANDA